Aurélio Magalhães – Da China Para Casa by Bike

BLOG

Ciclovias na Coréia do Sul

Em 2012 o governo sul-coreano investiu pesado na construção de ciclovias inter municipais e busca cada vez mais incentivar a população a usar a bicicleta como forma de lazer e promoção de saúde. Oficialmente o país possui mais de 2.000 km de ciclovias pavimentadas, muito bem sinalizadas e seguras, e com boa estrutura para cicloturistas, que aumenta a cada ano.

Buscando incentivar ainda mais a prática de viajar de bicicleta, a Korea Turism Organization criou um Passaporte e distribui várias cabines de certificação pelas ciclovias. Cada cabine possui um carimbo e a cada ciclovia percorrida, uma estampa é anexada ao passaporte. Quando o passaporte é totalmente preenchido o cicloturista recebe uma medalha de honra.

Além de mapas e guias, o site: Happy Routes, oferece todas as informações necessárias para viajar de bicicleta pela Coréia do Sul.

Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Jovens coreanos se divertindo na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul

Disparado, essa foi a melhor ciclovia que já conheci. A maior parte do percurso é por faixas exclusivas, e quando é compartilhadas com carros, são usadas sempre estradas secundárias com pouquíssimo movimento. Placas de sinalização alertam os motoristas e também guiam os ciclistas com precisão, sem causar nenhuma dúvida do caminho a seguir. Nessa primeira etapa, pedalei por 600 km e não encontrei dificuldades em seguir o percurso. Bombas de ar para encher os pneus, áreas de descanso, água e banheiros são encontrados de tempos em tempos. Sempre margeando os rios, é praticamente plana. Foram apenas 4 montanhas de no máximo 550 m de altitude.

Bomba de ar, informações e mapas na Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Bomba de ar, informações e mapas na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Mapa detalhado na Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Mapa detalhado na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Jeff, amigo que fiz durante a viagem, orgulhoso com seu passaporte em uma das cabines de certificação na Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Jeff, amigo que fiz durante a viagem, orgulhoso com seu passaporte em uma das cabines de certificação na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Jejj mostrando os carimbos de seu passaporte. Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Jejj mostrando os carimbos de seu passaporte. Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul
Placas de sinalização na Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Placas de sinalização na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul

Definitivamente o inverno deve ser evitado. Além de pedalar com temperaturas abaixo de zero, as paisagens perdem um pouco do fascínio, já que tudo está queimado pelo gelo. Se for pedalar no inverno, o melhor é seguir de Seul para Busan, pois o vento sopra prioritariamente neste sentido nesta época do ano, no verão, a coisa inverte.

Último centro de certificação na Ciclovia Seul - Busan - Coréia do Sul
Último centro de certificação na Ciclovia Seul – Busan – Coréia do Sul

 


 

A viagem ao redor do globo continua. Suba na garupa e venha comigo nesta aventura!

DA CHINA PARA CASA BY BIKE, compartilhando a viagem enquanto ela acontece! Toda quinta-feira um novo episódio com dicas, curiosidades e o dia a dia de uma VOLTA AO MUNDO DE BICICLETA.

Obrigado por me seguir!

Gostou desta postagem? Então curta, comente e compartilhe!

Seu envolvimento me ajuda a manter a motivação!

Você pode colaborar com este projeto ajudando e incentivando, clique no botão abaixo e conheça minha campanha de financiamento coletivo, na plataforma APOIA.se, as recompensas começam a partir de R$8,00 por mês.

4 respostas

    1. Olá Leonardo, tudo legal?
      Não! Assim como no Brasil eles estão implantando ciclofaixas nas grandes cidades. Nas duas cidades grandes que pedalei, Seoul e Busan, havia muitas vias exclusivas, mais do que em São Paulo, por ex., mas não em todos os lugares. Aliás, diferentemente do Brasil e de vários outros países, são os carros que tem preferência no trânsito. Estranho, não é mesmo? Tem que pedalar com muita atenção por aqui… a vantagem é que como a lei privilegia o carro, não existe dúvida, freia e deixa o carro passar… não tem erro. Mas o governo começou a olhar mais para a bike a apenas 3 anos, e me parece, pelo menos por onde passei, que eles estão mais adiantados do que nós no quesito faixa para bike.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − seis =